Street Fighter II Champion EditionStreet Fighter II Champion Edition

Desenvolvedor: Capcom Distribuidor: Capcom Produtor: Yoshiki Okamoto Designers: Akira Nishitani (Nin Nin) e Akira Yasuda (Akiman)

Compositores: Yoko Shimomura, Isao Abe e Yoshihiro Sakaguchi

Plataformas: Arcade, PC Engine, Sharp X68000, Mega Drive e Master System Data de Lançamento: Abril de 1992 (CPS1 – Arcade) Gênero: Luta

Contexto Histórico

Street Fighter II Champion Edition foi lançado um ano após seu predecessor, o The World Warrior. Essa nova versão funcionou como uma atualização do antigo jogo, trazendo alguns ajustes na jogabilidade, a capacidade de se jogar com os quatro chefes e ainda a possibilidade de jogar com dois personagens iguais (segunda cor). Tudo isso fez a popularidade da franquia e dos jogos de luta em geral crescer ainda mais. Naquela altura, os fãs clamavam principalmente por poderem controlar os tão sonhados chefões do jogo: Balrog, Vega, Sagat e M. Bison. Demorou um ano para que isso se tornasse realidade. A Capcom aceitou o pedido dos fãs e finalmente, em abril de 1992 lançou a primeira atualização de Street Fighter II, a versão Champion Edition.

desenvolvimento

Street Fighter II Champion Edition foi lançado em abril de 1992 para a placa de arcade CPS1 (Capcom Play System 1). O time de desenvolvimento do jogo foi praticamente todo igual ao de seu predecessor. Muito foi modificado no jogo para melhorar a jogabilidade e a experiência do jogador ao jogar essa versão. Seus ajustes e balanceamentos feitos na jogabilidade em geral, bem como às inúmeras versões caseiras do jogo, fizeram que a marca se consolidasse de uma vez por todas no mercado de videogames. Além disso, Street Fighter II Champion Edition popularizou o gênero jogos de luta, fazendo com que muitas outras empresas desenvolvedoras de jogos de videogame também partissem para esse ramo. Foi aí que empresas como a SNK e seu jogo Fatal Fury surgiram no ramo, e ajudaram a consolidar esse gênero, dos jogos de luta.

jogabilidade

Em Street Fighter II Champion Edition, muito da jogabilidade antiga foi remodelada. O jogo ficou melhor balanceado. Alguns golpes antigos foram melhorados ou ajustados. O ponto forte dessa versão sem dúvida foi o apelo dos fãs transformado em realidade: Agora era possível controlar os quatro chefes: Balrog, Vega, Sagat e M. Bison. Obviamente cada um desses quatro tiveram seus poderes levemente diminuídos para garantir o balanceamento do jogo. Seus golpes especiais eram acionados com comandos já existentes no Street Fighter II clássico. Um exemplo: O comando para o projétil “Tiger Shot” de Sagat era o mesmo do “Hadouken” de Ryu e Ken. Outra inovação em relação ao seu antecessor foi a possibilidade de disputar uma partida jogador contra jogador utilizando o mesmo personagem. Isso não era possível em The World Warrior. Foram criadas novas cores de uniforme para cada um dos personagens do jogo. Podia-se escolher a cor alternativa pressionando o botão START na hora de escolher o personagem. Isso fez com que o modo de um jogador tivesse agora doze estágios, ao invés dos onze do jogo anterior. Mesmo com todo o entusiasmo por parte da Capcom para balancear o jogo, é claro que alguns problemas ainda existiam nesse quesito. Certos personagens tinham vantagens em relação aos outros. Blanka recebeu alguns ajustes em seus golpes a fim de melhorar sua performance enquanto Guile sofreu um certo enfraquecimento de seus golpes para poder manter o equilibrio, de certa forma. M. Bison, também pudera, era muito poderoso. Seus golpes “Double Knee Press” e “Psycho Crusher” eram demasiadamente fortes. Quase não havia tempo de recuperação para esses golpes fazendo muitos jogadores da época classificarem como injusto controlar M. Bison nesses moldes. Ryu e Ken sofreram modificações e agora eram diferentes um do outro. A Capcom quis dar um tom mais defensivo a Ryu e mais ofensivo a Ken. O Shoryuken de Ken teve o alcanço melhorado enquanto que o disparo do “Hadouken” de Ryu ficou sutilmente mais rápido e forte.

personagens

Agora temos doze personagens controláveis. Além dos já conhecidos dos jogadores: Ryu, Ken, Chun-Li, Guile, Blanka, E. Honda, DhalsimZangief, entraram na jogada Balrog (boxeador americano. Seu forte era a força dos socos. Expecialista com as luvas de boxe, Balrog não usava chutes), Vega (o ninja espanhol. Suas habilidades aereas eram impressionantes e sua velocidade superava Chun-Li), Sagat (o imperador tailandês do Muay Thai possuía um longo alcance em seus golpes e sua força era considerável. Possuia ataques especiais de projéteis e também de anti-aéreos) e M. Bison (chefão supremo, era extremamente forte e com poderes psiquicos. Seus golpes especiais eram muito poderosos e possuíam boa defesa).

controle

O controle em Street Fighter II Champion Edition continua tão preciso quanto em The World Warrior. A tela de seleção de personagens sofreu uma pequena alteração para poder encaixar os agora quatro personagens a mais que entraram a disposição do jogador. O fundo da tela de título agora é azul e não mais preta. O logo do jogo recebeu a característica marca “apóstrofo” significando “plus” ou “dash”, indicando a versão de abril de 1992. As cores da fonte do logo também muradam, agora para um degradê do verde para o azul. Os retratos do personagens mudaram. Agora os desenhos da tela de vitória estão com um visual mais adulto. Alguns golpes especiais sofreram alterações nesse jogo, contudo, os comandos permaneceram inalterados. Com essa nova dinâmica e todos esses avanços no jogo, os controles ainda são bem característicos da série e o que já era um jogo excepcional ficou ainda melhor.

Esse texto foi escrito com base em informações encontradas na wikipedia, no livro oficial de 15 anos do Street Fighter, o Eternal Challenge e também com base na experiência de jogador do autor.

Autor: Junião & Deco

Tags relacionadas: Street Fighter II, Champion Edition, Plus, Dash, SF2CE

artworks

screenshots capas